Como renegociar e substituir dívidas?

fundo 1

É muito comum que pessoas recém formadas e que acabaram de entrar no mercado de trabalho adquiram dívidas para quitar a faculdade ou mesmo abrir o próprio negócio. Nesse contexto, contar com um planejamento financeiro é a chave para saber sair do negativo e dar aquele ponta pé inicial na sua carreira. Sendo assim, desenvolvemos este texto no intuito de auxiliar você e mostrar os melhores caminhos para renegociar as suas dívidas.

Tudo pronto para sair do prejuízo e alavancar as suas economias? Confira agora o conteúdo completo!

O que significa substituir e renegociar dívidas?

Caso você esteja começando a sua vida financeira e ainda tenha dúvidas sobre o significado de substituir ou renegociar dívidas, abaixo deixamos de maneira bem clara a explicação de tais termos:

  • renegociar dívidas: essa é uma maneira de procurar as melhores condições para que você quite as suas pendências financeiras por meio de uma renegociação do valor e quantidade de parcelas da quantia inicial, por abatimento total ou parcial dos juros e também pela prorrogação do prazo de pagamento;

  • substituir dívidas: nesse processo as dívidas com altas taxas de juros ou aquelas que já estão incorrendo por muito tempo são substituídas por um novo encargo mais controlado e com taxas menores que cabem no seu orçamento.

Por que é importante substituir e renegociar dívidas?

Antes de demonstramos a maneira ideal para que você renegocie ou substitua as suas dívidas, devemos deixar bem claro aqui a importância de se levar a sério esse processo. Aquela velha crença de que a prescrição das dívidas em cinco anos resolverá todos problemas faz parte do imaginário de diversas pessoas, sendo esse um erro gravíssimo que você deve evitar ao máximo. 

Está escrito no código de defesa do consumidor que cinco anos é prazo máximo estabelecido para que o nome do devedor fique no cadastro de inadimplentes, podendo, assim, ser retirado depois desse período. O que você ainda não sabe é que a sua dívida continuará existindo após esse tempo e, em outras palavras, a pessoa persistirá como um devedor. Esse fator impossibilitará que você obtenha credibilidade na praça, além de dificultar a obtenção de créditos advindos de instituições confiáveis.

Como renegociar dívidas?

Para substituir ou renegociar as suas dívidas você deve começar desenvolvendo um orçamento financeiro. É importante listar todos os seus maiores encargos e aqueles que existem há muito tempo, tendo em vista que esses valores podem crescer de maneira exponencial com o tempo. Assim, classifique essas dívidas pelos seguintes parâmetros:

  • as mais atrasadas;

  • as mais antigas;

  • as com taxas de juros maiores.

Essas taxas de juros causam um grande impacto com o tempo e podem ocasionar uma enorme dor de cabeça, caso não sejam quitadas. Para você que possa ter uma ideia de um bom planejamento, imagine que você tem duas dívidas: a primeira com uma taxa de 0,7% ao mês, que está atrasada há dois anos, e outra com uma taxa de 3% ao mês, que atrasou durante dois meses. É claro que, nesse caso, você deve focar na primeira, pois o tempo em que a taxa de juros ficou incorrendo é exponencialmente maior que a outra.

Após realizar essa classificação, busque por credores que sejam instituições ou pessoas confiáveis que possam emprestar dinheiro para que você tente renegociar a sua dívida. É possível ter acesso à órgãos de renegociação, como o SERASA, o CDL ou mesmo consultorias financeiras, que lhe auxiliarão durante esse processo para que assim você consiga buscar as melhores soluções em relação ao seu endividamento.

Como substituir dívidas?

Se por algum motivo o credor não está nas condições de renegociar a sua pendência, é recomendável que você parta para a substituição do encargo. Da maneira como explicamos anteriormente, substituir uma dívida é, na realidade, contrair uma outra dívida mais barata. 

Por exemplo, caso exista um encargo de R$ 50.000 com multas, atrasos e um taxa de 15% ao ano, o procedimento correto é pegar um empréstimo pessoal no mesmo valor, mas com uma taxa de 12% ao ano. Assim, você quitará a sua dívida a vista e reduzirá os juros em 80%.

Ao elaborar uma estratégia de substituição assertiva, é necessário que o seu orçamento financeiro esteja devidamente alinhado e condizente com o valor das parcelas em relação a nova dívida contraída. Caso o contrário, você substituirá o encargo antigo e continuará inadimplente com o novo credor, postergando, cada vez mais, que você saia do fundo do poço.

Para realizar esse processo de maneira simplificada, você deve procurar uma instituição que esteja disposta a emprestar os recursos necessários ao procedimento. Claro que essa procura pode se tornar uma tarefa muito complicada caso o seu nome já esteja “sujo” em função de outras dívidas. 

Entretanto, existem diversas formas de crédito, além de várias instituições dispostas a assumir esse risco por você em troca de uma taxa um pouco mais alta. Ao encontrar um novo credo, pegue o dinheiro e vá, o quanto antes, quitar o seu encargo.

Acabamos de apresentar a melhor maneira para que você possa substituir e renegociar dívidas. Não se esqueça de tentar barganhar para conseguir reduzir os juros por meio de um pagamento à vista. Lembre-se, o credor sempre vai querer receber muito mais do que você pretende pagar. Esteja atento e não entre em uma proposta desvantajosa!

Está endividado e quer encontrar a melhor maneira de quitar as suas dívidas? Entre agora em contato com a MRI Consultoria, nós temos a solução certa para o seu caso!

Comentários

Open chat
Tem alguma dúvida? Entre em contato.
Powered by